A casa brasileira do Phoenix Suns!


Num jogo espetacular, Suns bate Grizzlies em duas prorrogações

A ponte-aérea apenas coroou a bela partida de J-Rich (via Getty Images)

Na noite da última sexta-feira o Suns recebeu o Memphis Grizzlies no US Airways Center e venceu por 123 a 118, num jogo que ficará para a história.

 O jogo teve um início equilibrado com os dois times trocando cestas, até faltarem aproximadamente 7 minutos para o fim do primeiro quarto, quando a defesa dos donos da casa parou de funcionar, dando muita liberdade tanto dentro quanto fora do garrafão. Marc Gasol custou a errar seu primeiro arremesso de quadra no jogo (seu aproveitamento foi de 12 acertos em 13 tentativas no jogo todo) e a dupla OJ Mayo - Rudy Gay teve espaço para arremessar de 3 (e acertar). Ao fim do período, Jason Richardson acerta um arremesso de 3 pontos no estouro do cronômetro. Fora apenas a primeira façanha de J-Rich no jogo. O placar de 35 a 20 para o Memphis Grizzlies não contentava nem um pouco Alvin Gentry.

Como de costume, o Suns volta ao segundo quarto com 5 reservas e o melhor banco da liga. Dragic mostra cada vez mais liderança e personalidade à frente da equipe, batendo para dentro da marcação e criando situações de arremesso. Apesar do ataque ter mostrado mais movimentação com Dragic no comando e os pontos saírem de forma mais natural, a defesa continuava com problemas, tornando impossível uma aproximação no placar por parte do Suns.

Com a volta de todo o time titular na metade do segundo período o ataque volta a parar de funcionar, e passa a depender exclusivamente da criatividade de Steve Nash e de arremessos de longa distância de Jason Richardson. Apesar de tudo, o placar ao final do primeiro tempo de jogo é de 55 a 45 a favor do Memphis Grizzlies.

A equipe do Vale do Sol iniciou a segunda etapa pegando fogo. Em menos de dois minutos, Steve Nash e Hedo Turkoglu (que finalmente deu as caras na temporada) converteram chutes de três, Grant Hill pontuou pela primeira vez na partida e o Suns abriu 11 a 4 dentro do período, forçando o Grizzlies a pedir um tempo técnico. Ao final do período a liderança já era de apenas 6 pontos.

O último quarto teve o comando de Goran Dragic. Foram 9 pontos (13 no total) que deram a Phoenix a liderança do placar em certos momentos. Destaque também para Hakim Warrick (15 pontos e 7 rebotes) e Channing Frye (1 ponto, 11 rebotes) que foram importantíssimos para manter a equipe no jogo, principalmente com rebotes ofensivos, dando ao Suns um segunda chance de ataque em momentos cruciais. Já Jason Richardson continuava a pontuar de forma constante.

Os três minutos finais do período (não do jogo) foram marcados por uma troca de cestas de três pontos: Turkoglu e Richardson de um lado, Gay e Mayo do outro.

Com 3,7 segundos no relógio, o Suns faz falta intencional em OJ Mayo, que acerta os lances-livres e deixa o jogo 98 a 94 para o Memphis Grizzlies e praticamente liquida a fatura. Mas não é bem assim. Jason Richardson brilha novamente e acerta um arremesso de 3 pontos para diminuir a diferença para um ponto. O tempo era muito curto: 1 segundo, e o Suns precisava de uma falta rápida. Foi exatamente o que aconteceu, Steve Nash faz falta em Rudy Gay, que, acredite, erra o primeiro lance-livre e acerta o segundo.

A liderança no placar era de dois pontos, e o cronômetro marcava 0,4 segundo. Já que o Phoenix Suns não tem Derek Fisher, só restava uma opção: a ponte-aérea. Vince Carter já fez isso, Dwight Howard também. Mas é claro que a de J-Rich tinha que ser a mais sofrida. Ele precisou se esticar ao máximo para conseguir completar o lindo passe de Grant Hill e empatar o jogo (veja o lance no vídeo ao fim do post). Vamos para a prorrogação!

Os bordões do basquete dizem que a prorrogação é outro jogo. Ontem tivemos a excessão à regra. A troca de cestas foi rigorosamente a mesma durante os 5 minutos extras. Um arremesso de Jason Richardson deu a liderança do placar para o Suns (109-108) com 25 segundos no cronômetro. Ataque errado cá, ataque errado lá, o placar continuou ileso até Conley ir para a linha de lances-livres e, acredite, errar o primeiro. O Suns teve a bola com o jogo empatado e 6 segundos no cronômetro, mas como dormir é para os fracos e o relógio já se aproximava das três da madrugada no horário brasileiro de verão, vamos para mais uma prorrogação.

Ainda não podemos chamar a segunda prorrogação de um jogo diferente, já que Jason Richardson continuou espetacular nos chutes de 3 pontos. Os 7 pontos de Steve Nash na segunda prorrogação garantiram ao Phoenix Suns a primeira vitória dentro de casa na temporada.

Destaques

Suns

Steve Nash 25 pontos, 9 assistências
Jason Richardson 38 pontos, 6-8 na linha de 3 pontos
Hedo Turkoglu 18 pontos, 5 rebotes, 5-10 na linha de 3 pontos
Goran Dragic 13 pontos (9 no 4o período)
Hakim Warrick 15 pontos, 7 rebotes

Grizzlies

Mike Conley 16 pontos, 7 assistências, 5 roubos
OJ Mayo 23 pontos, 51 minutos jogados
Marc Gasol 26 pontos, 7 rebotes, 12/13 nos chutes de quadra
Zach Randolph 12 pontos, 14 rebotes
Rudy Gay 26 pontos

Highlights

.............................................................................................................................

1 Spurs Haters já comentaram este post:

DheMa disse...

Vai ficar PRA HISTORIA!!!
Ponte linda! Relembrando a cesta de Charles Barkley em 93 contra os Blazzers.

Postar um comentário

Deixe sua opinião!